29.9.04

Amigo de infância com o dobro da idade


Como vocês já devem ter percebido, gosto de falar de histórias que já não são tão recentes. É que, às vezes, levo um tempo para digerir o que aconteceu e transformar isso em palavras.

Pois então, no sábado do feriado de sete de setembro, portanto no dia quatro, eu tive um trabalho a fazer. Não me importei, pois não ia viajar e já tinha ingresso para o jogo da Seleção contra a Bolívia no domingo. E, sobretudo, era uma atividade de que gosto muito: conversar com professores.

O convite veio da Prefeitura de Indaiatuba (uma cidade no interior de S. Paulo, para quem não sabe) para falar em um evento para professores de ensino fundamental, médio e superior, de escolas públicas e particulares. O assunto era o que é necessário resgatar na prática do professor.

Acontece que antes da minha "palestra", haveria a do escritor Ignácio de Loyola Brandão, -- autor, dentre vários outros, de Não Verás País Nenhum. Meu papel, simplificadamente, era fazer a ponte entre a maneira como ele transforma o mundo cotidiano em literatura, por um lado, e a forma como podemos trazer para a sala de aula as histórias pessoais dos alunos, pelo outro.

Confesso que eu estava meio com o pé atrás (tá bom, tá bom, com os dois pés atrás) pensando que o Loyola seria "a estrela da festa" e eu seria somente o coadjuvante a "traduzir" a fala dele para o tema do evento.

Fomos apresentados cerca de meia hora antes do início e, logo ali, vi que eu estava muito, muito enganado. O cara é totalmente "gente de verdade", se é que vocês me entendem heheh... E o engraçado é que tive, imediatamente, a forte sensação de "amizade à primeira vista". A fala dele não só foi extremamente afetuosa e rica, como ele teve o cuidado de preparar o terreno para a minha, que vinha logo depois. Eu disse lá, e escrevo aqui: tive um agradecimento e uma reclamação a fazer. O agradecimento foi por ele ter feito minha tarefa tão mais fácil e agradável; a reclamação foi por ele ter falado tão bem, pois isso significa que fiquei com a tarefa inglória de falar logo depois para quase trezentas pessoas previamente encantadas!

Bom, em resumo é isso. Desculpem o longo post, mas é algo que me deu vontade de registrar e compartilhar. Quanto a você, Ignácio, se estiver lendo, quero agradecer novamente por duas coisas principais: ter iluminado uma bela manhã de sábado com sua sensibilidade; e ter me mostrado que existe gente de verdade que consegue de forma magistral conquistar seu espaço para ser autêntica. Quanto a mim, a sensação gostosa que ficou foi de ter descoberto um "amigo de infância" que, mesmo tendo o dobro exato da minha idade, parece ter estado por aqui desde sempre...

   28.9.04

Aperte a tecla verde e confirme


Bom, domingo agora rola o primeiro turno das eleições para prefeito e vereador. Mas esse post não é para fazer campanha para ninguém, apesar de eu ter minhas preferências bem claras.

Na realidade, o que me levou a escrever foi uma mensagem de e-mail que ando recebendo das mais suspeitas e insuspeitas fontes. Basicamente, é uma campanha que diz: "Vote no Serra no primeiro turno para que possamos viajar no feriado" (o segundo turno vai ser no dia 31/10, domingo, e Finados é no dia 02/11, a terça-feira seguinte). O argumento é que o candidato do PSDB vai ganhar de qualquer forma, segundo pesquisas (desatualizadas, aliás) e, assim, não haveria segundo turno para "atrapalhar".

Dentre outras "pérolas", a mensagem diz que a possível viagem do feriado é uma boa razão para todos -- até os que votariam na Marta -- mudarem suas opções. Ah, e uma das razões para que isso seja ainda mais crucial é que "é um final de ano com raras oportunidades para viajar" (só para constar: são três feriados na terça só de setembro a novembro, fora um na segunda).

Aí eu fiquei pensando nas prioridades que a gente estabelece. E fiquei pensando se o caos que constantemente ronda S. Paulo, sempre esperando para dar o bote, vale uma viagem de feriado, independentemente do candidato escolhido.

Vejam, não estou aqui, nem de longe, querendo defender a "honrada classe política desta nação" (!), mesmo porque de honrada a imensa maioria não tem nada. Mas ao mesmo tempo acho que, se a gente quiser mudar qualquer coisa que seja na condução da nossa cidade, tem que ser através dos instrumentos que temos para isso -- e o voto é um dos mais importantes e legítimos. Cada um de nós que pensa: "ah, não vai fazer diferença, mesmo", entra numas de profecia auto-realizável, pois acaba não fazendo diferença, obviamente.

Então, para concluir essa longa história, a reflexão que eu proponho é a seguinte: será que quatro dias de feriado valem quatro anos -- ou seja, 1460 dias -- da administração de uma cidade?


PS: Já está rolando uma comunidade do Quando Isso no Orkut. Entra lá!

   24.9.04

Minha vizinha gostosa virou estrela pornô

Existem algumas mentiras universais, todos sabem disso. E uma delas é homem que diz que não gosta ou não vê pornografia. O sujeito pode até alegar que acha meio sem graça e repetitivo, mas se disser que não gosta, pode apostar, leitora, que é mentira.

A pornografia entra na vida dos homens antes de sermos homens. E no início não tem quase nada a ver com sexo, mesmo por que muitos de nós conhece o primeiro muito antes de entender do segundo. O mundo pornográfico se deixa adentrar, por assim dizer, pela porta do proibido, da curiosidade. Dinheiro economizado do lanche da escola, a frustração e a vergonha de ver que é uma mulher que fica na banca de jornais, as estapafúrdias tentativas de fazer cara de paisagem enquanto se tenta comprar uma revista, as formas de esconder a revista no caminho de volta, a excitação de abrir o pacote e violar um mundo que pertence aos adultos, todo um novo leque sensorial inquietante e viciante. E a estranha sensação de vazio que se sente enquanto toda aquela tensão é levada pela descarga.

E pornografia também mexe muito com nossos conceitos do mundo e das pessoas. "Nunca imaginei que duas garotas teriam tanta vontade de fazer... isso... só por terem encontrado esse troço esquisito de borracha dura!! Ahhh!! Por isso Camila e Tatiana sempre vão juntas ao banheiro!!!". Quantas coleguinhas de classe e trabalho e pessoas inventadas você já não imaginou cedendo seus lindos rostinhos para aquelas fotos, leitor?

E não pensem que com o tempo esse gostinho desaparece. Ele pode mudar de simples curiosidade e adrenalina para deleites imaginativos do que se gostaria de fazer, ou para quentes lembranças do que já se fez. O fato é que revistas viram filmes, que viram sites e que repentinamente isso pode ser partilhado com aquela que divide conosco lençóis e gemidos. E pensar que tanta gente não expõe esse seu lado a seus parceiros! Mulheres que tem ciúmes de filmes e fotos. Homens que não conseguem encaixar naquelas fotos que tanto esquentaram suas adolescências justamente o rosto e o corpo da pessoa que melhor poderia satisfazê-lo. Mulheres que acreditam que se tornariam meros objetos se se deixassem colocar no lugar das fotos. Homens que acreditam na mesma besteira.

A despeito de toda sua tônica individualista (punhetisticamente falando, claro), a pornografia pode ser descoberta não como algo degradante para o amor e para o sexo, como alguns sociólogos dizem, ou algo profano e não-natural, como podem dizer religiosos (que no fim não entendem porra nenhuma de sexo, por partirem, simplesmente, do princípio errado de que o ato, entre os humanos, tem função puramente reprodutiva), mas sim como uma ferramenta, um adicional, um outro meio de dar prazer pro outro, de transformar toda essa energia libidinosa em algo extremamente satisfatório.

E, por favor, vejam isso tudo pelo lado do usuário e inveterado consumidor de pornografia. Eu não falei sobre a indústria da pornografia, ou sobre todos os usos indevidos (desde pedofilia até transformarem a novela das oito em filme pornô velado) que se pode fazer dela, além de todos os desastrosos desfechos que se pode ter com ações descuidadas e sem consciência no uso do sexo e da libido e da pornografia. Isso daria um outro post, certamente.

See Ya

PS: Karine, que papo é esse de achar que eu estou bravo ou chateado com você? Endoidou de vez, foi, mulher? Eu te adoro!!!

   23.9.04

Satanás rejeitou minha alma

Numa bela tarde um de meus jogadores de RPG de quase 10 anos descobriu tudo. A máscara finalmente caiu. E eu falhei. O Grande Pai rejeitou minha alma.

Jogador diz:
É CULPA DE VCS... MINHA VIDA NÃO FOI MAIS PRA FRENTE DEPOIS QUE CONHECI VCS.... RPGISTAS DO INFERNO
Mestre diz:
cara, a culpa não é minha...... eu sou só um mensageiro de satanás na Terra....
Jogador diz:
TE ODEIO....
Jogador diz:
VCS NÃO PODIA TER SE CONTENTANDO COM UM DA FAMILIA..... NÃO TINHA QUE PEGAR O IRMÃO MAIS NOVO E MAIS BONITO
Mestre diz:
Vc soube desde o começo que o RPG era a passagem para o mundo do capeta..... quando deixei vc usar seu nome no personagem, foi pra prender sua alma....
Jogador diz:
EU QUERO SAIR..... DESISTIR....
Mestre diz:
cara..... a prática da Yoga é a unica forma de sair dessa.....
Jogador diz:
TO VENDO DEMONIO ATÉ EM MEDITAÇÃO..... MEU CASO É CRITICO?
Mestre diz:
olha, não quero te assustar, mas eu acho que seu caso é de desinscorporação da alma...
Mestre diz:
vc está vivendo sem uma alma....
Mestre diz:
é praticamente um monstro....
Jogador diz:
O QUE EU TENHO QUE FAZER?
Jogador diz:
PLEASE
Mestre diz:
precisa fazer um ritual para roubar a alma de outra pessoa......
Mestre diz:
se tiver uma ligação com vc, como pai e mãe é melhor.....
Mestre diz:
mas o melhor mesmo é algum bebê recém nascido...
Mestre diz:
pq vc pega uma alma zerada...
Mestre diz:
de preferência se extraido diretamente do ventre da mãe.. um feto, digamos....
Jogador diz:
É ISSO É BOM?
Mestre diz:
isso é muito bom.... com uma alma zerada você vai poder cultuar a calma e a paz......
Mestre diz:
se tornar um ser de luz e servir ao senhor satanás....
Mestre diz:
ops
Mestre diz:
santo.. senhor santo....
Jogador diz:
MAS MINHA BELEZA EXTERIOR CONTINUA A MESMA?
Mestre diz:
vc vai ficar ainda mais lindo, pois uma alma de criança vai te dar um brilho especial.....
Mestre diz:
uma aura de paz e serenidade.....
Mestre diz:
e nenhum mal se levantará contra vc....
Jogador diz:
MAS NINGUÉM VAI FICAR APERTANDO MINHA BUCHECHA? IGUAL FAZEM COM OS BEBES?
Mestre diz:
não... talvez vc cague nas calças com certa frequência.... mas em compensação garotas peitudas vão querer que vc as chupe como cabritas e mulheres em geral vão querer te pegar no colo.....
Mestre diz:
e se vc beber do leite do seio de alguma mulher, ou do sangue dela, pode fazer com que ela se apaixone por vc
Jogador diz:
SANGUE?
Mestre diz:
eu disse sangue? não, são..... saliva.. saliva
Mestre diz:
se apaixonará... um amor lindo e eterno e incondicional.....
Jogador diz:
VC É DUENDE.... QUER DIZER DOENTE
Mestre diz:
sim, eu sou doente, mas quero salvar quem ainda não se perdeu totalmente.. eu já estou completamente tomado pelas garras do senhor dos sete círculos do inferno..por causa do RPG... na verdade o diabo faz um grande RPG de nossas vidas e nos controla como pechas de chumbo pintada em tabuleiros de papelão desenhado....
Mestre diz:
rolando dados sobre nosso destino e rabiscando nos cantos de nossas planilhas....
Mestre diz:
o grande capeta chifrudo preto corinthiano sofredor disse que para cada sucesso decisivo que eu tirar, ele vai matar um familiar meu.....
Jogador diz:
PUTZ..... SERÁ QUE ELE FICA ESCREVENDO NAS PLANILHAS..... RODRIGO VON GAL, FABRICIO LEOTTI, BOLINHA, PAJÉ, FERNANDA (GOSTOSA)
Mestre diz:
Com certeza.... mas vc ainda pode se salvar... vc quer se salvar?
Jogador diz:
QUER SABER, TÁ NO INFERNO ABRAÇA O CAPETA
Jogador diz:
SABADO A NOITE SACRIFICIO
Jogador diz:
MARCADO?
Mestre diz:
Viva o RPG!!!!

See Ya

   22.9.04

But nobody's listening

Eu nunca havia estado num show daquele tamanho, num estádio, ou com dimensões sequer parecidas. Foi absurdo passar pela massacrante fila, acompanhada da desorganização total da polícia e dos organizadores (?) do evento, para entrar. Contudo, ainda acho que foi válido, especialmente considerando o que me esperava do lado de dentro.

Charlie Brown Jr. abriu o show. A música dos caras é simplesmente perfeita: ritmo, batida e jinga de um bom hip hop, salpicados com rock de boa qualidade. E a cereja do sorvete só poderia ser um teen quarentão, com nome de moleque e cabeça tão alienada quanto qualquer um de seus ouvintes da noite: Chorão. O discurso mais batido do mundo, especialmente pra mim que ouço rap e hiphop desde os 14 anos, não era pra ser ouvido. Ninguem estava escutando nada ali. Contra o discurso e todas as bandas que o levam como bandeira, eu posso dizer que todos estão completamente alienados, encaixotados e padronizados dentro da praga do Politicamente Correto. Era esperado que as palavras fossem aquelas. Era esperado que o Chorão posasse de líder rebelde radical. Mas pensem um segundo e tentem imaginar que tipo de líder rebelde atual permitiria seus clipes de passarem ou gravaria um acústico na MTV, subsidiária de uma das gigantes americanas, a mesma força política contra quem eles "lutam". É tudo parte do espetáculo do Politicamente Correto, por menos que Chorão, sua trupe e seus ouvintes entendam de política.

A favor do mesmo discurso e das mesmas bandas, tenho a dizer que Chorão também brincou com o público, mostrando que não se leva tão a sério assim, e o discurso inflama e o som descarrega, agita e faz pular 79.988 pessoas de uma só vez, enquanto dois velhos bocejam. =) Nunca pulei, cantei, chutei, girei e berrei tanto em público. estaba lá para me divertir e apesar de gostar de usar o cérebro mesmo nessas horas, me diverti. E muito.

E pra acabar de destruir minhas pernas, costas e cordas vocais, Linkin Park. Eu não poderia imaginar algo tão bom pra fazer em companhia de 80 mil pessoas. Alucinante, empolgante e completamente acima da escala de diversão, Linkin Park entrou em cena com Don't Stay e deixou o palco com One Step Closer. Neste intervalo mostraram simpatia, interação com o público e, mais importante, competência no palco. O esmero de versões e variações que eles tocaram fizeram o som da banda ainda mais interessante e hipnotizante. Tocaram até mesmo Wish, do Nine Inch Nails, o que fizeram muito bem. Pena que quase ninguem conhecia. Pena que nem todos sabiam as letras que estavam cantando. Única ressalva de fã: não tocaram Nobody's Listening inteira e não tocaram By Myself. Fora isso, foi um momento que se tornou inesquecível. E felizmente minhas palavras não são capazes de passar para vocês o que, de fato, foi o show. Quem viu, viu. I was listening.

See Ya

   20.9.04

But in the end it doesn't even matter

Tá, os que reclamaram têm toda a razão: isso aqui, apesar de ter dois moradores, anda às moscas (literalmente!). Ou, como disse o Fabricio, tá parecendo Brasília em ponta de semana.

Bom, o assunto de hoje já é meio velho, afinal já se passaram quase 10 dias: o show do Charlie Brown Junior & Linkin Park.

Em termos gerais, a experiência foi GENIAL! Havia muito tempo eu não ia a um show tão bom -- e olha que eu tenho alguns na bagagem. A fila de entrada foi uma zona total, quase fomos esmagados, precisou de tropa de choque, cavalaria e tudo o mais, mas sobrevivemos e, no fim, até foi divertido me ver no meio do caminho entre a horda adolescente (grande maioria) e os pais/mães/tios/tias/etc. presentes (grande minoria).

A apresentação do Charlie Brown Jr despertou percepções diferentes. O Fabricio, como vocês saberão mais tarde, gostou; eu achei totalmente dispensável. O Chorão faz aquela linha "adolescente rebelde" que já deu no saco.

Como já estou mais para "tiozinho" que para adolescente, fiquei pensando naqueles jornais e revistas que fazem reportagens pausterizadas sobre/para jovens e recebem cartas da moçada dizendo: "Vocês não respeitam os jovens, só falam de coisas superficiais". É nessa que hora eu me lembro do Karl Marx, quando ele dizia que o rei só se comporta como rei porque os súditos se comportam como súditos...

Aí vocês me perguntam: e o que isso tem a ver com o show? Pois é, o caso é que vem o Chorão, se achando, fala meia-dúzia de "palavras de ordem" profundas como um pires (e com um português indigente), e a "galera" vai ao delírio. Para vocês -- os que não estavam lá -- terem uma idéia, lá pelas tantas o cara fala: "O povo me pergunta por que eu falo de política. Eu falo de política porque o jovem tem que ser levado a sério". E isso após a seguinte "pérola": "O problema com a política é que tem uns vinte caras que pegam o dinheiro da gente e compram casa em Miami" (ou algo bem próximo disso). Ah, faça-me o favor!

E sem falar que, pessoalmente, acho um saco artistas que ficam pedindo confete: "Cadê os isqueiros?"; "Quem é Charlie Brown aí?", e etc. E, para terminar (ou deveria ter sido para começar?), não gosto do som deles -- e talvez esteja dando importância demais a um show de música...

Depois do surto de mau-humor (heheh), vamos adiante: o show do Linkin Park foi beeem melhor! Tiveram boa presença de palco, interagiram bastante com a galera, fizeram arranjos novos para algumas músicas, até bandeira do Brasil pediram à platéia e colocaram lá em cima (como manda o "Manual do Artista Estrangeiro Simpático"...). A emoção de ter quase 80.000 pessoas pulando ao som de "In The End" foi indescritível! E nós na pista, lá no meião, pois quem está na chuva é para se molhar heheh... Aliás, até choveu um pouco, o que foi ótimo para dar uma refrescada. Pena que foi curto, menos de uma hora e meia. Mas valeu totalmente a pena.

Agora... dizem que, à medida que ficamos mais velhos, a gente leva mais tempo para se recuperar das baladas. Depois de 10 horas entre fila, show e trânsito, até que fiquei bem no dia seguinte -- e já no pique para o Evanescence no mês que vem, se for confirmado!

   8.9.04

Dando corda

1) Essa é a primeira vez que faço algo como um "post resposta".
2) Vou escrever o post, colocá-lo aqui, e o espaço para as respostas, comentários e críticas fica a disposição de todos. Mas não esperem que eu escreva outra resposta sobre o assunto. Isso não vai acontecer.
3) Adoro discutir religião, não crenças. Não vou lançar nosso (meu e do Marcelo) blog numa fogueira de vaidades.

Apesar de toda a resposta que tive, através de comentários, e-mails e pessoalmente, realmente achei que poucas pessoas conseguiram sacar sobre o que o texto falava. Aos evangélicos ofendidos e que se sentiram ignorantes, só queria avisar que o post não foi sobre a Bíblia (cada um segue os princípios que quer) nem sobre Deus (cada um acredita no que quiser) e muito menos sobre os benefícios ou malefícios que os dois itens citados trazem pra vida de cada um.

O texto falava justamente sobre o que as pessoas estão fazendo com Deus, com a Bíblia, com pessoas ignorantes e desesperadas e principalmente sobre os motivos e métodos usados pra fazer isso. E se por um lado eu generalizei, por outro lado ninguém que tenha comentado o texto (evangélico ou não) discordou das minhas palavras sobre pessoas enganadoras e falsas que comandam centenas de milhares de cordeiros idiotas e cegos para um lado da crença que está muito mais ligado ao dinheiro do que a Deus.

Enfim, se foram minhas palavras agressivas e contundentes que fizeram vocês se confundirem sobre quem eram os verdadeiros alvos do texto, agora eu faço-me surpreso, pois ninguém melhor do que vocês, fervorosos evangélicos e leitores de Bíblia, deveriam saber separar os reais motivos do discurso das palavras fortes e impactantes, já que é assim que o Diabo (como vocês acreditam) se manifesta muitas vezes.

Eu nunca fui evangélico, é verdade, mas já acreditei em Deus. Já li a Bíblia e já li muito mais do que isso. Fiquei bastante feliz com a resposta da Laís, que aos 13 anos defende sua religião da mesma forma que eu, na mesma idade, defendia o ateísmo. A você, Laís, se chegar a ler isso aqui um dia, eu só devo dizer que você está certa. Se o texto não te causou nenhum questionamento (talvez você não precise se questionar, embora eu duvide), ou se causou e você, após se questionar, achou que o melhor pra você e o caminho com o qual você mais se identifica é o que você segue agora, ótimo. O Quando Isso não está aqui pra mudar a opinião de ninguém. Eu quero, isso sim, incitar o questionamento e a auto-crítica. Mudar de opinião, deletar o blog dos favoritos, ou qualquer outra ação advinda do questionamento é por sua conta. Repetindo as palavras de Gabriel, o Pensador: "Quem vai lavar a sua mente não sou eu, é você".

See Ya

   1.9.04

Evangélico é o demônio

TV é coisa do capeta. RPG é coisa do capeta. Homossexualismo é coisa do capeta. Tudo que não satisfaça os preceitos preconceituosos e ignorantes ou então não renda dinheiro pros dirigentes das igrejas é coisa do capeta. Pois se tem uma coisa que é próprio do demônio é a forma como essas igrejas se comportam.

Posso estar generalizando, é verdade, mas no fundo não faz muita diferença, porque igreja de enganar otário é tudo igual. É sempre a mesma ladainha, as mesmas caras mentirosas se escondendo atrás de um livro que já foi mais revirado que garotinha de 15 anos estuprada e morta, jogada no meio da estrada: a Bíblia. Aliás, parece que fazem exatamente isso com o tal livro sagrado.

Gente pobre (mas no fundo rica também) e ignorante (isso com certeza) é um prato cheio pra essas aves de rapina que comandam as igrejas evangélicas (e os católicos calem a boca, porque pelo menos até agora eu não vi os evangélicos queimarem ninguém na fogueira). Gente sem esperança, ou que já aprontou mais do que podia aguentar acotovelam-se nesses templos faraônicos ou em salinhas onde ficam gritando cânticos sem nem entender o que diz a letra (como se fizesse diferença também, com tamanha estupidez de quem as compõe e escolhe). E os administradores contam com tamanha cara de pau e falsa ideologia, levando todo esse bando de ignorantes a acreditar e decidir colaborar com eles. Dinheiro pode comprar o paraíso, ou sua vida pode se tornar um inferno. A escolha é sua.

Distorcem as escrituras a seu favor, cobram por serviços totalmente inventados, armam circos pra sustentar suas vigarices e ainda por cima se acham os donos da verdade. Usam de palavras bonitas, passagens decoradas de seu estuprado livro sagrado e com isso fazem com que os cordeiros sigam seu caminho em direção a uma salvação mentirosa e enchem os bolsos com isso. Nada contra ganhar dinheiro, claro,
mas fazer isso em cima da crença dos outros é que me deixa louco.


Certamente eu vou queimar nas chamas eternas de Satanás. E a maior merda vai ser ouvir, no inferno, os choramingos desses evangélicos idiotas que compraram gato por lebre e seus pastores que venderam suas almas pro capeta quando enganaram os inocentes (?) e ignorantes.

See Ya

PS: dedico este texto a Cesar Senatore, o cara que me inspirou a escrever este texto por ousar dizer certas coisas. =)