29.1.06

O avesso do avesso do avesso do avesso do avesso

Qual o problema que certas pessoas tem de entender o que ouvem? Fantasiam pra se esconderem da dor. Não importa quão clara seja a conversa, o quanto sincero eu seja, algumas pessoas simplesmente ignoram o sentido real das palavras e guardam pra si somente o que interessa.

Existe algo de bom na esperança? É algo que faz todos acreditarem em coisas que não existem. É algo que faz todos se iludirem e obliterarem até ser tarde demais. Existe algo de bom na esperança?

Porque confundem respeito com abertura? Eu respeito, respeito, respeito. E aí as pessoas acham que eu estou sendo permissivo. Eu quero fazer a dor menor, fazer o sentimento mais importante. Mas nunca é suficiente. Nunca basta. Aí eu arrebento. Boto pra quebrar. E pronto: agora estou errado!

Provavelmente eu estou errado. Eu gosto de estar frequentemente errado. Permite a mim entender, perceber e aprender mais sobre eu mesmo.

Dane-se, então. Dane-se o companheirismo, o cavalheirismo e a atitude positiva. Dane-se a perspectiva, a genialidade, o "ser especial". Dane-se se não deu pra entender, dane-se se a porta bateu e tudo que restou foi o silêncio oscilando dentro da cabeça. Dane-se se eu fiz tudo certo achando que ia dar errado, ou se fiz tudo errado achando que ia dar certo.

Dane-se.

See Ya

PS: "Dizem que se você é feliz, é burro. E se for triste, é inteligente. Mas então seria muito inteligente sermos burros para sermos felizes. Só que como um burro pode ser inteligente pra ser burro só pra ser feliz?". Brilhante isso. Obrigado, Elacoelha.

   10.1.06

Conspiração sob o sol

Por volta da hora do almoço de 31 de dezembro de 2005, já "crepúsculo do ano" (!). Rio de Janeiro, Ipanema, Posto 9 -- ou oito e meio, como insistem alguns. Sol delicioso, água idem, tudo de bom.

De repente, materializa-se na nossa frente um rapaz muito gentil que pede licença e nos oferece um folheto simples, tamanho A6 mais ou menos, com o seguinte texto (ipsis litteris):

É IMPERATIVO VOCÊ SABER

- DEUS, ANJOS E DIABO SÃO ALIENÍGENAS!
- EVA FOI UM CLONE
- JESUS O 1º BEBÊ DE PROVETA!
- A MORTE DE CRISTO (Um ser híbrido) FOI ESTRITAMENTE POLÍTICA!
- A CIÊNCIA SUBSTÍTUIRA A RELIGIÃO!
- A BÍBLIA É CIÊNCIA, TECNOLOGIA, FILOSOFIA, SOCIOLOGIA, POLÍTICA, UFOLOGIA, ASTROLOGIA ETC.
- UM COMETA ESTÁ EM ROTA DE COLISÃO COM NOSSO PLANETA (Assunto extremamente importante).

MAIORES DETALHES
TEL.: 2230.3170 / 9757.4571 - QUEIRÓZ

E foi embora. Não disse ou perguntou mais nada. Não saiu falando sozinho ou sequer tinha o physique du rôle; ou seja, a cara de maluco que eu esperaria. E depois eu é que sou paranóico...


Bom, nós guardamos o folheto e voltamos a curtir a praia. Se você quiser trocar uma idéia com o Queiróz, o código de área é 21.

   1.1.06

Bukowski e os blocos de Lego

A vida não é um jogo. Ela está mais próxima de uma caixa de Lego. Um Lego num nível bastante alto, mas ainda um Lego.

Nós recebemos uma caixa de Lego com uma certa quantidade de blocos e peças, quantidade essa definida e, quase sempre, invariável. Evidentemente no nosso caso existem peças mutáveis, defeituosas, tortas e multifuncionais. Bem, como eu disse, é uma caixa de Lego de alto nível.

E um manual, claro. Toda caixa de Lego possui um manual. Um pedaço de papel aparentemente simples, que indica em qual ordem e posição cada uma das peças deve ser colocada, garantindo que ao final da montagem você tenha uma figura pronta. Pode ser realmente simples, dado que o ato de encaixar os blocos e peças não nos obriga a pensar muito, especialmente quando se tem um manual.

Mas pense no que falta a esta caixa de Lego que cada um de nós possui. Falta personalização, ou seja, falta dizer que não precisamos realmente de todas as peças ou que elas não precisam ser encaixadas daquela maneira específica. O modelo colocado no manual normalmente é o mais comum e fácil. Não vá me dizer que nas caixas de Lego reais você nunca se esbaldou procurando outras alternativas de encaixe que, no final, resultaram em figuras muitos mais interessantes.

Falta criatividade e autenticidade: caixas de Lego vêm cheias de armadilhas. Armadilhas que te convencem que seguir o manual é melhor e garante que você tenha algo estável no final da montagem. Armadilhas que bloqueiam sua criatividade e às vezes te deixam pensando que é melhor mesmo montar daquele jeito e não arriscar.

Charles Bukowski contou-me certa vez que o maior prodígio da vida é escapar das armadilhas que esta coloca diante de nós. Estão por toda parte e escapar delas é uma forma bastante pessoal de se atingir objetivos na vida. Objetivos que realmente queiramos e não os que simplesmente aceitamos porque "os blocos só encaixam dessa maneira".

Olhos atentos no seu Lego, portanto. Questione as peças, interrogue os blocos. Encaixe somente quando e onde quiser. Entenda que o manual pode te dar a idéia geral de como a figura final deve se parecer, mas nem de longe deve ser seguido à risca. Fuja das armadilhas. No fim todos teremos nossas figuras montadas, mas você sempre pode escolher entre usar a sua imaginação ou o manual.

See Ya